Caixa paga auxílio emergencial a 6,15 milhões nesta segunda-feira

A Caixa Econômica Federal libera, nesta segunda-feira, 20, o pagamento de 600 reais de auxílio emergencial a pelo menos 6,15 milhões de pessoas. Entre eles, beneficiários do Bolsa Família, que possui o número do benefício finalizado em 3 e informal inscrito no aplicativo Caixa.

Dos informais cadastrados no aplicativo, 4.230.900 recebem na Caixa de Poupança Social. O dinheiro será creditado aos trabalhadores que não estavam no CadÚnico, MEIs e freelancers que contribuem para o INSS e registrados no sistema entre os dias 9 e 11 de abril.

Esses 4,2 milhões de pessoas terão seu dinheiro creditado na conta poupança virtual da Caixa, aberta pelo banco. O acesso ao dinheiro pode ser feito através do aplicativo Caixa TEM. No aplicativo, o trabalhador poderá pagar boletos e transferir o dinheiro para contas de outros bancos ou da própria Caixa. Os saques em dinheiro só podem ser feitos a partir de 27 de abril em loterias e caixas eletrônicos.

Os beneficiários do Bolsa Família, por outro lado, recebem regularmente, ou seja, pelo cartão do programa social. Os beneficiários que receberam auxílio inferior a 600 reais terão direito a assistência. O calendário, no caso do Bolsa Família, segue o fluxo normal do programa: escalado de acordo com o número do NIS. Até sexta-feira, eles recebem pessoas com o NIS terminadas entre 3 e 6.

Na sexta-feira, às 21h, o ‘coronavoucher’ já havia pago 11,36 bilhões de reais por 16,6 milhões de brasileiros. Entre os que já receberam a primeira parcela do benefício, há 9,29 milhões de assinantes registrados que não recebem o Bolsa Família; 3,85 milhões de beneficiários do Bolsa Família; e 3,44 milhões registrados via aplicativo e site que já possuíam conta poupança na Caixa. Ao todo, 45,2 milhões de pessoas já haviam sido aprovadas para receber ajuda de emergência, segundo o Dataprev.

Quem pode receber ajuda de emergência
O auxílio, conhecido como ‘coronavoucher’, será pago a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, trabalhadores independentes que contribuem para o INSS e também beneficiários do Bolsa Família. Um dos requisitos é ter uma renda de até meio salário mínimo (R $ 522,50) ou até três salários mínimos na família (R $ 3.135). Segundo o governo, é necessário ter CPF regular. No entanto, uma decisão do Tribunal Federal anulou a exigência.

O programa pode ser estendido por um projeto que flexibiliza a concessão de ajuda a 20 categorias, incluindo motoristas de aplicativos, taxistas, garçons, entre outros, o pagamento de ajuda de emergência a quem perdeu renda. Para que essa expansão comece a entrar em vigor, o texto deve ser votado pelo Senado. Se aprovado, o presidente Jair Bolsonaro será sancionado. Logo depois, a Caixa regulará quando os pagamentos serão feitos.

Serão pagas três parcelas de até 600 reais, limitadas a dois benefícios por família. As mães chefes de família terão direito a uma cota de 1.200 reais por mês. Veja abaixo os requisitos e o cronograma do programa:

– ter 18 anos ou mais
– ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (522,50 reais) ou renda mensal de até 3 salários mínimos (3.135 reais) por família;
– não ter sido obrigado a declarar imposto de renda em 2018 (tendo recebido até 28.559,70 em lucro tributável em 2018).

Na renda familiar, toda a renda auferida por todos os membros que vivem na mesma casa será considerada, exceto o dinheiro do Bolsa Família.

Também é necessário:

– ser titular de uma entidade legal (Microempreendedor Individual ou MEI);
– ser cadastrado no CadÚnico para Programas Sociais do Governo Federal até 20 de março;
– ser colaborador individual ou opcional do INSS;

Como funciona
– Até duas pessoas da mesma família podem receber o benefício, com uma renda de emergência permitida de 1.200 reais por família; Mulheres mães e chefes de família podem ter uma cota de 1.200 reais;
– Quem recebe o Bolsa Família estará, por três meses, com a assistência, se o valor for maior
– O auxílio não é válido para trabalhadores com contrato formal ou funcionários públicos

Como registrar
Aplicativo para quem não está no CadÚnico
– Acesse o site ou baixe o aplicativo (Android ou iOS)
– Clique em “Faça seu pedido”
– Inserir dados pessoais: nome completo, CPF, data de nascimento e nome da mãe
– O sistema começará a analisar as informações para decidir se existe ou não um direito. A análise é feita pelo Dataprev com base em outros sistemas governamentais
– A análise será realizada em 48 horas; se o trabalhador tiver uma conta na Caixa ou no Banco do Brasil, ele já poderá recebê-la na quinta-feira; Caso contrário, o lançamento será feito na próxima semana
– Se você não conseguir se registrar on-line, o trabalhador poderá procurar uma agência da Caixa

Como consultar o CadÚnico (registro de benefícios sociais do governo federal):
– Acesse o linkmeucadunico.cidadania.gov.br/meu_cadunico
– Informar o nome completo, data de nascimento, nome da mãe e cidade de residência
– Clique em “Eu não sou um robô”, siga as instruções e depois em “Problema”
– Se o sistema encontrar o registro, o NIS (Número de Informações Sociais), o nome e o status do registro serão informados
– A consulta não encontra quem se registrou há menos de 45 dias

1. CadÚnico Informal:

Parcela 1:
– nascido em janeiro: receba em 14 de abril
– nascido em fevereiro, março e abril: receba em 15 de abril
– nascido em maio, junho, julho e agosto: recebe a partir de 16 de abril
– nascido em setembro, outubro, novembro e dezembro: receba em 17 de abril
– os correntistas da Caixa e do Banco do Brasil tiveram seu crédito liberado em 9 de abril

Parcela 2:
– nascido em janeiro, fevereiro e março: receba em 27 de abril;
– nascido em abril, maio e junho: recebe em 28 de abril;
– nascido em julho, agosto e setembro: receba em 29 de abril;
– nascido em outubro, novembro e dezembro: recebe em 30 de abril.

Parcela 3:
– nascido em janeiro, fevereiro e março: receba em 26 de maio;
– nascido em abril, maio e junho: recebe em 27 de maio;
– nascido em julho, agosto e setembro: receba em 28 de maio;
– nascido em outubro, novembro e dezembro: recebe em 29 de maio.

2. Beneficiários do Bolsa Família

Parcela 1: Será creditado de acordo com o benefício regular, de 16 a 30 de abril

Pacote 2: será creditado de acordo com o benefício regular, de 18 a 29 de maio

Parcela 3: Será creditado de acordo com o benefício regular, de 17 a 30 de junho.

3. MEIs, autônomos e informais que concluíram o registro no site da Caixa:

Parcela 1: Eles começaram a receber em 17 de abril. O pagamento é liberado 48 horas após a validação do registro pela Dataprev

Parcela 2:
– nascido em janeiro, fevereiro e março: receba em 27 de abril;
– nascido em abril, maio e junho: recebe em 28 de abril;
– nascido em julho, agosto e setembro: receba em 29 de abril;
– nascido em outubro, novembro e dezembro: recebe em 30 de abril.

Parcela 3:
– nascido em janeiro, fevereiro e março: receba em 26 de maio;
– nascido em abril, maio e junho: recebe em 27 de maio;
– nascido em julho, agosto e setembro: receba em 28 de maio;
– nascido em outubro, novembro e dezembro: receba em 29 de maio